quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Perguntar não ofende

Se o que ocorreu ontem tivesse ocorrido durante o impeachment, o senador Viana:

a) diria não ter condições de assumir a presidência do Senado?

b) renunciaria da primeira vice, para que Jucá assumisse?

c) assumiria e "tocaria a pauta" do impeachment?

d) apoiaria o "Volta Renan"?

e) pediria ao STF que revogasse a liminar, mesmo criando mais um casuísmo jurídico?

f) todas as anteriores?

g) nenhuma das anteriores?

h) aproveitaria a crise para fazer o que fosse possível para defender a democracia e os interesses populares?

Não saberemos nunca o que poderia ter ocorrido naquela ocasião.

Sei o que ocorreu nos últimos dias.

Comprovou-se que enquanto na esquerda tem gente preocupada em "não aprofundar a crise institucional", na direita a preocupação é outra: com crise, sem crise ou através da crise, o que importa é garantir o principal.

E o "principal" é aprovar a PEC 55, a reforma previdência, a entrega do pré-sal etc e tal.

Enquanto na esquerda tem gente preocupada em não aprofundar a crise institucional, a direita toma medidas que aprofundam a crise social.

Paradoxalmente, a atitude "responsável" demonstrada nos últimos dias por certos senadores apenas acrescentou lenha na fogueira de uma grande tragédia social e, portanto, de uma "crise institucional" ainda mais profunda. 

Confirmando a máxima: em épocas de crise, nada mais perigoso do que o medo.

Certa direita tem demonstrado não ter medo de quase nada.

Já certa esquerda parece dominada pelo medo.

Não pelo medo pessoal, pela covardia individual.

O medo que paralisa certa esquerda é o medo de mudar de política, o medo de admitir que passou o tempo em que a conciliação parecia ser a melhor alternativa, o medo de escolher outro caminho que não o do meio.

Enquanto este medo prevalecer, a esquerda caminhará para o cadafalso, o país caminhará para a convulsão social e a direita caminhará para uma ditadura de novo tipo.

Os que desejam a paz, terão que preparar-se para a guerra.


ps. Voltando ao senador Viana: o Barão dizia que de onde nada se espera... Mas confesso que tinha uma pontinha de esperança. Infelizmente, a tradição falou mais alto. E o Barão confirmou, uma vez mais, sua genialidade.

12 comentários:

  1. Muito triste um Partido que foi se descaracterizando tanto, tanto e tanto que não me surpreende em nada a tucana atitude de Jorge Viana. Depois da aliança nacional com a extrema direita nada é novidade no PT, que pena...ops, quem tem pena é tucano.

    ResponderExcluir
  2. Penso que e esperar muito de um presidente do senado petista sem base parlamentar e com uma sociedade civil com mais cacique do que indio . E hora de acordarmos pra Jesus.

    ResponderExcluir
  3. Então...o poder realmente corronpe àqueles fracos de caráter. E o PT esteve, ou ainda está cheio deles. Enquanto não voltar o espírito guerreiro, aquele mesmo que propunha a revolução sem armas, vai ficar à berlinda e lamentando o que está acontecendo e o que está por vir.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Agora Vale de perguntar ao senador e ao PT: se não é para mudar, se não é para fazer a diferença, para que serve ser representante do Povo?

    ResponderExcluir
  6. Prefiro crer que Viana não caiu na pegadinha da direita. Anteviu que jamais lhe dariam essa boiada e que tudo não passou de um vacilo da direita. Teria agido diferente se realmente lhe dessem a faca e o queijo.

    ResponderExcluir
  7. Que Alívio saber que Pomar não o está no lugar de Viana.

    ResponderExcluir
  8. O PT é um partido? Uma decisão tão importante como essa é do partido ou de uma pessoa individual? Se foi só do Viana, então o PT não pode ser considerado um partido de Esquerda. E se foi do partido, resta Pomar você criticar o partido, e não só Viana.

    ResponderExcluir
  9. O PT é um partido? Uma decisão tão importante como essa é do partido ou de uma pessoa individual? Se foi só do Viana, então o PT não pode ser considerado um partido de Esquerda. E se foi do partido, resta Pomar você criticar o partido, e não só Viana.

    ResponderExcluir
  10. É verdade que existe o codinome "menino da floresta" nas planilhas de controle de propina da Odebrecht ? Se sim, é verdade que este codinome refere-se ao senador ?

    ResponderExcluir